domingo, 30 de janeiro de 2011

Vento


Sentir o vento
a vida passando.

Observar as formas
que ela se manisfesta

De uma mãe
dando a mão a seus
filhos a atravessarem
a rua,
à outra dizendo que não
nasceu para ser mãe.

Do mendigo de passos lentos
ao bêbado caido na vala.

A morte não tem mais
rosto de má
e sim de existência.

Então abro os olhos
e a vejo como ninguém
mais a vê...

A solidão passa a ser
uma escolha e não mais
a tortura...

Guilherme Perottoni

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "A morte não tem mais
    rosto de má
    e sim de existência."
    Eu não vejo a morte como má,é mais parecida com a liberdade, porém nem todos querem ser libertos. Adorei a postagem :D

    ResponderExcluir